Significado dos signos: Horóscopo grego

deuses%20gregos%20mitologia%202[1]
CARNEIRO: ZEUS O SUPREMO DOS DEUSES

ZEUS era o deus supremo, do Olimpo aquele que reinava sobre todos os outros deuses. Ele mandava no Sol, na chuva, nas nuvens e manobrava os raios e as tempestades. O seu poder era maior do que o poder de todos os outros deuses em conjunto. No entanto, ele não era omnipotente: era muitas vezes alvo de oposições e passava, como qualquer ser humano, por decepções e desilusões. Apaixonou-se por várias mulheres e passou muito tempo a arranjar estratagemas para esconder a sua infidelidade de cada uma delas. Zeus tinha um escudo protector, a ave que o simbolizava era a águia e a sua árvore o carvalho. O seu oráculo era Dodona, e obtinha respostas sobre o futuro ouvindo o murmúrio das árvores na floresta. Tal como Zeus, aquele que nasce sob o signo de Carneiro é poderoso, dominador, apaixonado, mas também sensível e sujeito a desilusões várias.

TOURO: HERA PROTECTORA DA FAMÍLIA

HERA, na mitologia grega, nasceu como irmã e esposa de Zeus. Era a protectora do lar, e existem muitas lendas que relatam os castigos que infligia às mulheres por quem Zeus se apaixonava. Era ela que forçava o marido/ irmão a cumprir as suas obrigações conjugais. A deusa tratava todas as mulheres da mesma forma, fossem ou não culpadas de actos sexuais ilícitos. Nunca esquecia uma injúria e mantinha um ódio de morte a todos aqueles que encontravam noutras mulheres maiores encantos do que aqueles que ela mesma possuía. Os seus animais simbólicos eram a vaca e o pavão. Tal como Hera, os nativos de Touro são teimosos, ganham facilmente ódios e aversões, dão prioridade à casa e aos valores tradicionais da família, afastando todos os elementos que possam interferir com a sua estabilidade.

GÉMEOS: HERMES O MENSAGEIRO

HERMES era filho de Zeus. Era gracioso, ágil, rápido nos seus movimentos. Nos pés tinha sandálias aladas que lhe permitiam deslocar-se em segundos para todos os locais onde a sua presença era necessária. Também no seu chapéu em forma de coroa existiam duas asas, e na mão exibia uma varinha de condão. Hermes era o mensageiro que voava com a sua armada para fazer avisos, convites, dar respostas e ouvir segredos. Cheio de curiosidade, este deus chegava ao ponto de roubar cartas e objectos para se inteirar dos amores e desamores daqueles que protegia. Conduzia as almas pelos caminhos do mundo, e aparecia mais do que os outros deuses nas lendas relacionadas com a mitologia. Tal como Hermes, todos os que nascem sob o signo de Gémeos são curiosos, interessados em tudo o que os rodeia, têm pensamento veloz, deslocam-se com rapidez e são eles os mensageiros mais eficazes à face da Terra.

CARANGUEJO: ARTEMIS A DEUSA PROTECTORA

ARTEMIS era irmã gémea de Apolo. Era uma das três sacerdotisas principais do Olimpo. Era a senhora dos caçadores, pescadores, da natureza e de todas as coisas selvagens. Mas tinha também uma faceta de mulher caseira, ligada às tarefas do lar e da família. Tinha o maior cuidado em preservar a juventude (a sua e a daqueles que os rodeavam), tendo boas relações com as crianças e os adolescentes. A sua árvore sagrada era o cipreste, e também protegia os animais do mato, especialmente o veado. Tal como Artemis, os nativos de Caranguejo são dedicados às pessoas com quem convivem de forma mais íntima, cuidando do seu aspecto, das suas necessidades físicas e psicológicas. São eles os coordenadores das actividades da casa, gerindo a vida dos mais jovens de forma que se sintam felizes e estáveis durante o seu crescimento.

LEÃO: APOLO O DEUS DA BELEZA

APOLO era o filho de Zeus, nascido na pequena ilha de Delos . Foi considerado o mais belo de todos os deuses, era a figura principal da poesia grega, o maestro de todas as músicas do Olimpo. Exibia uma lira dourada da qual tirava sons maravilhosos e melodias encantadoras. Era o deus do arco de prata, que atirava para bem longe as suas flechas. Tinha poderes curativos e ensinava aos homens como podiam minimizar os seus males e as suas dores. Dizia-se que Apoio detinha os poderes da luz e do Sol e que nunca saíam dos seus lábios palavras de falsidade. O oráculo de Apolo era Delfos, visto muitas vezes como o centro do mundo. Muitas criaturas lhe foram consagradas, mas as mais conhecidas eram o golfinho e o corvo. Os filhos de Apoio são belos, atraem as boas energias, exibem uma certa vaidade, roas são também generosos e a sua alma está cheia de luz.

VIRGEM: VESTIA DEUSA DA TERRA

HESTIA era irmã de Zeus, uma deusa virgem tal como Atena e Artemis. Era a deusa da terra, o símbolo da casa, à volta de quem os recém-nascidos deviam ser colocados antes de serem recebidos na sua própria família. Todas as refeições na antiga Grécia começavam e acabavam com uma oferenda a Hestia. Cada cidade tinha um lugar público consagrado a esta deusa onde se acendia uma chama que nunca podia extinguir-se. Tal como Hestia, os nativos de Virgem são a chama que alimenta a estabilidade entre os vários elementos da família, são eles os conciliadores, aqueles que usam as suas capacidades para alimentar a família. Têm também um desejo inato de ajudar os que se encontram em dificuldades, optando muitas vezes por dedicar a sua vida às grandes causas humanitárias.

BALANÇA: ATENA A DEUSA DA SOCIEDADE

ATENA era a única filha de Zeus. Não tinha mãe que a aborrecesse, mas também carecia de protecção. Por isso usava uma armadura que a protegia de todos os males. Era a deusa das cidades, aquela que vigiava todas as civilizações, os trabalhos manuais e a agricultura. Foi ela a inventora do freio para os cavalos e colocou esses animais ao serviço do homem. Era amada por Zeus e este servia-lhe de escudo nos maus momentos. Atena possuía uma arma secreta e devastadora, uma espécie de raio que lançava sobre aqueles que por vezes pretendiam prejudicá-la ou destruí-la. O mocho era o seu animal-fétiche e ouvia os segredos do vento debaixo das oliveiras. Os filhos de Atenas são seres sociáveis, conciliadores, e têm grandes poderes para harmonizar aqueles que os rodeiam. Só usam as suas armas secretas em situações de extrema infelicidade ou traição.

ESCORPIÃO: AFRODITE DEUSA DO SEXO

AFRODITE, a deusa do amor e da beleza, conseguia enganar tanto os homens como os deuses. Muitas vezes se ria deles e dos seus erros, zombava e ironizava as suas falhas. Era uma deusa de conquistas, irresistível, inteligente na sua maneira de dialogar, que usava a sua própria beleza para atrair as atenções de todos os seres, mas que raramente se apaixonava. Quando se afastava de alguém, essa pessoa perdia a alegria e a capacidade de amar. A ave que a simbolizava era o cisne e ouvia os segredos do oráculo no meio das folhas da murta. Tal como Afrodite, os nativos de Escorpião são amantes irresistíveis, irónicos e pouco dependentes. Jogam com os sentimentos alheios e raramente se prendem a alguém ao ponto de se prenderem em amores eternos.

SAGITÁRIO: HEPHAESTUS O DEUS DO FOGO

HEPHAESTUS tinha fama de ser filho de Zeus e Hera, mas também se dizia na antiga Grécia que ele era apenas filho de Hera e não tinha pai. Era o único deus imortal, imperfeito e cheio de defeitos. Era o rei dos seres imortais, aquele que fabricava as armas e dominava o mundo dos metais. Ensinava os deuses a manobrar as suas armas de forma eficaz, dormia no meio da lava dos vulcões e as suas zangas eram a causa das erupções. Para espanto dos outros deuses, casou com Afrodite por ser muito sensível à beleza. Apesar das suas iras momentâneas, era bondoso, pacífico, popular entre o povo, tanto na Terra como no Paraíso. A semelhança de Hephaestus, os nativos de Sagitário entram facilmente em situações de explosão de humor, mas depressa se recompõem das suas exaltações e são admirados e procurados por pessoas mais fracas.

CAPRICÓRNIO: HADES DEUS DOS SUBMUNDOS

HADES era o deus dos mundos inferiores e ocultos e reinava sobre à morte. Chamavam-lhe também o deus da saúde, aquele que controlava as pedras e os metais escondidos no interior da Terra. Hades usava uma couraça protectora que lhe permitia tornar-se invisível sempre que isso era necessário. Raramente saía do seu mundo de obscuridade para visitar o Olimpo na Terra, nem sequer era solicitado que aparecesse entre os homens e os outros deuses, pois estes temiam os seus poderes secretos. Não era uma visita desejada. Tinha fama de ser impiedoso, inexorável, um pouco cruel, mas apesar de tudo não era um demónio, mas sim um deus demoníaco. Tal como Hades, os nativos de Capricórnio mantêm-se nos seus domínios em actividades secretas e pouco claras, e raramente levantam o véu para mostrar a sua verdadeira personalidade. São impiedosos para com quem falha e não esquecem quem os tenta prejudicar.

AQUÁRIO: ARES DEUS DAS REVOLUÇÕES

ARES era filho de Zeus e Hera, mas ambos o detestavam pelo facto de ser independente e nunca estar de acordo com as suas ordens e ideias. Ele encarnava o curso de vida dos mortais, a sua evolução e as suas etapas. Ares pertencia ao mundo inteiro, sem pertencer a ninguém. Fugia do Olimpo sempre que os outros deuses tentavam impor-lhe normas ou regras. Estava à frente dos exércitos dos humanos e comandava as grandes revoluções sobre a terra, especialmente as reviravoltas culturais. Não tinha cidade fixa, vagueava por onde lhe apetecia e estava sempre acompanhado por um cão (símbolo da fidelidade) e por um abutre (símbolo da sua atenção perante aqueles que caíam, para deles extrair ideias e força pare continuar a viver). Tal como o deus Ares, os aquarianos são os grandes líderes das revoluções culturais, têm como características a independência e o espírito inovador. São apreciados, mas muitas vezes são odiados pelo facto de não poderem ser controlados por ninguém.

PEIXES: POSEIDON O DEUS DOS MARES

POSEIDON era o deus que reinava sobre as águas, sendo irmão de Zeus e o segundo em poder. Os gregos tinham entre si muitos pescadores e homens do mar, e por isso este deus era muito importante para eles. Poseidon possuía um esplêndido palácio à beira-mar, mas muitas vezes era encontrado no Olimpo. Para além de dominar os mares, foi também um protector da agricultura, tendo sido ele o primeiro a oferecer aos homens o serviço de um cavalo. Era normalmente chamado de «Terramoto» e representado nas gravuras com um tridente na mão, que lhe servia para abanar a terra ou mares, consoante as necessidades do ser humano. Quando as coisas não corriam a seu gosto, usava o tridente para destruir e arrasar. Tal como Poseidon, aqueles que nasceram sob o signo de Peixes colocam-se ao serviço da humanidade, gostam de inovações e de percorrer o mundo, mas são pouco receptivos a falhas. Quando alguém erra, fica sujeito à sua impiedade e à falta de compreensão que demonstram ter nessas alturas. São flexíveis, mas não suportam que os outros falhem.

Por Anabela Quental

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s